Pasta de dente


Quem me conhece sabe que não fujo de assuntos polêmicos sem um ótimo argumento. A pasta de dente é sempre controversa: se por um lado o hábito saudável de escovar os dentes e manter uma boa higiene é fundamental para todo mundo, e não há como polemizar, por outro os ingredientes são um caso à parte. Usar ou não flúor, fazer ou não espuma... usar ou não pasta de dente!

Boa parte dos dentistas concorda que o fundamental na higiene bucal é a escovação, ou seja a limpeza MECÂNICA dos dentes e gengivas. E isso se faz com a escova, sem necessidade de pasta. Já o flúor adicionado a elas é mais polêmico. Flúor é usado pra prevenir cáries. Normalmente indicado acima dos 6 anos de idade. Há os que defendam seu uso nas pastas além do que já é adicionado à água da maioria das cidades brasileiras (e em outros lugares do mundo). Há os que achem seu uso exagerado, e nocivo, neste link aqui tem uma discussão sobre isso. Os argumentos contra vão na linha do poder de bioacumulação de metais, e doenças ligadas a disrupções hormonais, problemas de tireóide e em última instância até mesmo alguns tipos de cancer (outro link aqui tb). Neste outro link aqui coloco uma discussão de dentistas recomendando seu uso. Ou seja, discussão pra muitas conversas e como sempre nesses casos: a decisão final é sempre nossa! O que eu quero com este post é além de levantar essa bola pra que cada um possa fazer CONSCIENTEMENTE sua escolha, é contar a minha escolha, super consciente, mesmo sabendo que ela pode no futuro ser trocada por alguma solução melhor. Eu não uso pastas de dentes fluoradas há mais de 15 anos, e mais recentemente, sequer pasta de dente industrial eu uso. O primeiro motivo que me levou a isso é que simplesmente não gosto de espuma na minha boca (que a maioria das pastas tem, sem NENHUMA necessidade, e serem potencialmente um risco a saúde, além de "convencer" o consumidor que aquilo é limpeza). O segundo é que eu mesmo fazendo a pasta posso colocar os ingredientes que eu acredito serem ótimos pra mim, pois já sofri com placas na minha adolescência e infância e agora não sofro mais. Para quem decidiu fazer sua própria pasta, aqui vai a receita com vídeo e tudo (aproximada, já que você pode suprimir os ingredientes que não te agradarem) que uso há mais de 2 anos:

Óleo de coco​: é o que dá a liga... tem uma incrível ação anti-inflamatória e bactericida, ajuda a dissolver e evitar placa bacteriana. Na proporção de metade do produto pelo menos. Raspas de juá: usada para escovar dentes no interior do Brasil, pois faz a escovação mecânica além de ser bactericida. (Pode ser até 50% do total) Bicarbonato de sódio: ajuda a clarear e limpar os dentes. Super alcalino, ajuda na limpeza quimica da boca. (Na proporção de 20 a 30% do total) Cúrcuma em pó (ou turmérico): anti-inflamatório, ajuda na recuperação das gengivas, além da ação bactericida. (10 a 15% do total) Argila branca: ação anti inflamatória, cicatrizante. (10 a 20%) Canela em pó (bem pouquinho): limpa o hálito, e faz também limpeza mecânica. (10 a 30%) Óleos essencias (mais recomendados) de hortelã, tangerina, limão (tahiti ou siciliano), teatree, cravo (cuidado que o sabor é forte), canela, turmérico, alecrim, mangericão, sálvia, mirra. (ou a seu gosto) Na proporção de 2% do total dos ingredientes.

Carvão vegetal ativado: propriedade muito parecidas com as do bicarbonato. Eu não uso sempre porque suja muito a pia. Melhor usar sozinho uma vez ou outra. (10% no max) Se quiser pode-se acrescentar também: própolis (para cicatrização de feridas) e/ou stevia (faz espuma e limpa). (Não coloque muito. 10% do total no max)

Misture os ingredientes (na proporção que você perfereir) até formarem uma pasta! Pronto, está pronta a sua nova pasta de dentes! Fácil assim.

Eu gosto de colocar num pote de vidro e usar com uma colherzinha de sorvete. Mas dá pra botar num frasco de plastico também.

Bom sorriso pra você!

Saúde.

Tem uns artigos aqui pra quem quiser ler mais sobre a toxidade do flúor:

http://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(06)69665-7/fulltext

https://dash.harvard.edu/handle/1/10579664

http://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S0892036214001809?via=sd

http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1474442213702783

Tem mais alguns aqui tambám:

http://www.aartedeamadurecer.com.br/estudo-de-harvard-classifica-o-fluor-como-uma-neurotoxina/

Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Cosmética consciente  | cosmética natural | Sustentabilidade  |  DIY  | cosmética artesanal  |  Slow Beauty  | Beleza Sustentável  | Cosmetica criativa