Perfume artificial: isso realmente não cheira nada bem

26 Nov 2015

Perfumes artificiais são uma das maiores causas de alergias respiratórias, entre outros probleminhas que incluem também alergias de pele. Quase ninguém se dá conta pois é bem difícil tirá-los do dia-a-dia, já que, má notícia, está em quase tudo o que nos rodeia: de produtos de limpeza (amaciante de roupa é o pior deles) à cosméticos e higiene. Mesmo os "sem perfume" são cheios de fragrância, pra disfarçar o cheior "original" da mistura que pode ser muito ruim.

 

O termo "fragrance", "parfume", "perfum" no rótulo de cosméticos pode esconder muito ingrediente tóxico usado para dar cheiro ou para estabilizar (tem mais sobre isso aqui). Também alguns ingredientes que não chegam a 1% do produto podem ser rotulados como "perfume" ou "fragrance". Existem 3059 compostos que podem ser rotulados como "fragrancia", destes muitos são conhecidamente tóxicos (veja aqui em inglês alguns). Ou seja, nem sempre sequer sabemos o que há lá dentro. E pra piorar podem conter toluenos, e outros ingredientes que podem ser bem tóxicos e acrescentarem ao seu creme diário risco de disrupções hormonais, alergias entre outras doenças graves.

 

O "musk" artificial (tem mais informação aqui) que é usado como fixador em vários perfumes se acumula no tecido gorduroso humano e é encontrado no leite humano! De 9 em cada 10 bebês foram encontrados traços desta substância. Ele é tóxico e pode causar disrrupção hormonal e alergias. O uso do musk sintético é restrito na Europa.

 

A organização "The Campaign for Safe Cosmetics" que agrupa mais de 100 grupos pedindo transparência sobre químicos em cosméticos, contratou laboratórios independentes pra fazer uma pesquisa com 17 dos perfumes mais vendidos no mercado (tem os resultados aqui). Sabe o que eles encontraram? Várias substancias que não estavam rotuladas, entre elas substâncias associadas com acumulação em tecidos humanos, interrupção hormonal, alergias e algumas que sequer foram liberadas para uso em cosméticos. Por exemplo, o diethyl phthalate, encontrado em 97% dos americanos testados e associado a danos no esperma.

 

Para os bebês esse é um problema ainda um problema pior. Os produtos para bebês são carregados de "cheiro de bebê", tudo absolutamente tudo tem o cheiro que se convencionou ser de "bebê", que na natureza cheira como "lili do vale", ou lirio. Acontece que o sistema respiratório, e a pele do bebê ainda são sensíveis demais para serem atacados desta forma e sem trégua.

 

Considere, se estiver grávida ou com criança pequena reduzir produtos muito "cheirosos" e tente trocar tudo o que puder por óleos essenciais (lavanda, camomila, lirio, gerânio, rosa, erva doce, laranja, tangerina são maravilhosos).

 

 

Perfumaria é uma ciência antiga

 

Desde o Egito antigo, perfumes são usados para evocar estados religiosos - a tradição do incenso para fins religiosos originou a palavra perfume que vem de “per fume”, ou pela fumaça.

 

O primeiro perfume produzido “comercialmente” que se tem notícia foi baseado numa receita do Egito Antigo (aproximadamente de 1500 a.C.) chamado KYPHI.  A receita dele chegou até nós pois foi “copiada” e usada para fins comerciais pelos gregos. Não há um consenso sobre a formula, nem sequer se existe uma única formula para o Kyphi original, mas em geral elas contém entre 10 a 12 ingredientes aproximadamente. Acredita-se que era uma receita de família e podia variar. Em geral ela continha os seguintes ingredientes, que eram misturados e produziam uma espécie de pasta resinosa que se passava diratamente na pele.

 

Calamus | Acorus calamus (Araceae),  Cassia | Cinnamomum cassia (Lauraceae), Cinnamon | Cinnamomum zeylanicium (Lauraceae), Cyperus | Cyperus rotundus (Cyperaceae), Frankincense | Boswellia carteri (Burseraceae), Hina/Henna | Lawsonia Inermis (Lythraceae), Juniper | Juniperus communis (Cupressaceae), Mastic | Pistacia lentiscus (Anacardiaceae), Myrrh | Commiphora myrra (Burseraceae), Açafrão verdadeiro | Crocus Sativus (Iridacea), Spikenar | Nardostachys jatamansi (Valerianaceae), Terebinth / Terebentine | Pinnus palustris / Pinnus (Pinaceae), Podiam conter uvas passas, vinho e mel.

 

Nos séculos XVI e XVII, na Europa, banho era desencorajado por médicos, o que fazia com que as pessoas cheirassem muito mal e fez com que a perfumaria fosse uma arte cada dia mais em evidência (e nesse caso, quase que necessária). Com isso Grasse, uma cidade na França se tornou polo de perfumistas e produtores de perfume. Ainda hoje esta cidade vive do turismo perfumista e mantém fábricas de perfumes famosas. Embora atualmente a Alemanha seja a meca perfumista, pois atualmente os perfumes são muito mais ligados a alta tecnologia do que a plantas! (Eu já visitei uma fábrica alemã de perfumes e aromas para comida, ultra-mega moderna. Muito mais high-tech e bem equipada do que boa parte dos laboratórios de Física que eu conheci - e eu já conheci muitos. ;)

 

Em 1725, um perfumista imigrante italiano chamado Giovanni Maria Farina se estabelece em Colônia, na Alemanha, numa casa localizada na rua Glockengasse No. 4711. Neste endereço ele cria a primeira Água de Colônia, batizada de 4711, o primeiro e ainda famoso perfume. Até hoje a cidade de Colônia é turisticamente conhecida como a cidade deste perfume. Esta primeira formula era feita com óleos essenciais que incluem: limão, laranja, tangerine, bergamota, grapefruit e neroli (que é a flor da laranjeira), podem incluir também ervas como lavanda, alecrim, tomilho, petit grain, jasmin e Tabaco.

 

Uma típica água de colônia é mais leve e refrescante que um perfume, e deve conter entre 2 a 5% de óleos essenciais (se ela for natural), água e alcool. A denominação perfume inclui concentrações muito maiores dos óleos perfumados (podendo chegar até 20%).

 

Façamos!

 

Coloquei aqui embaixo duas receitas de perfumes/águas de colônia pra quem quiser se aventurar na (difícil e muuuito divertida) arte perfumista.

O primeiro, líquido, e o segundo feito em óleos e sólido. No caso dos seus óleos essenciais serem leves demais, pode colocar um pouquinho mais do que o que está na receita, até que você goste do cheiro.

Experimentem!

Divirtam-se.

 

 

Beijos perfumados.

 

 

Uma receita de perfume/água de colônia pra fazer em casa

 

1 xícara de café de Vodka

1 xícara de café de Água mineral (ou hidrolatos)

1,5 colher de chá de Óleos essencias (a seu gosto)

1 colher de café de Vitamina E em óleo

10 gotas de Óleo resina de balsamo do perú ou Óleo de copaíba (fixador)

 

Misture tudo.

É bom chacoalhar a mistura quando for usar pra misturar os óleos

 

DICA: Se quiser pode acrescentar sementes de cardamomo, lavanda, café em grão, ramos de alecrim. Eu adoro!

 

Perfume sólido (sem alcool)

 

1 xícara de café de Óleos vegetais de coco, semente de uva e/ou girassol (prensados a frio)

1 colher de sopa cheia de Manteiga de karité

1 pedaço (10cmx5cm) de folha de Cera de abelha

1 colher de café de Vitamina E em óleo

2 colheres de chá de Óleos essencias a seu gosto

10 gotas de Óleo resina de balsamo do perú ou Óleo de copaíba (fixador)

 

Em banho-maria, derreta a manteiga, a cera e os óleos vegetais.

Quando estiverem derretidos, retire do fogo e misture a vitamina E, os óleos essenciais e as resinas.

Derrame numa latinha e deixe esfriar até ficar durinho.

 

  

 

PS. Se você quiser saber mais, considere visitar também: 

http://www.safecosmetics.org/

http://www.ewg.org/

 

 

 

Please reload

Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Cosmética consciente | consumo consciente | cosmética natural | Sustentabilidade  |  DIY  | cosmética artesanal  |  Slow Cosmetics  | Beleza Sustentável  | Slow Beauty