Sobre 2017 e o que dá pra fazer

2017 foi um ano que não vou lembrar com nenhum carinho, não, foi duro e até um pouco violento mas me ensinou um monte de coisas sobre poesia e delicadeza.

Me ensinou que eu preciso ter um monte de planta em casa mesmo que a minha casa seja pequena, porque eu amo e sempre amei plantas e tenho um dedo verde bom. Que preciso cuidar delas todo dia, e conversar com elas, porque amo conversar com plantas.

Me ensinou a tirar todo dia um tempo pra cuidar da minha filha, da casa, dos meus 4 gatos e das minhas plantas, que é o amor de todo dia pra mim. Isso manteve meu eixo nos piores dias de agonia.

Meu café com calma de manhã também me deu tempo de respirar.

Nem todo dia pude tirar a manhã pra essas delicadezas da vida, mas foram os dias que consegui fazer que me ajudaram a seguir.

Arrumei a minha bicicleta, que é a coisa que mais gosto na vida, ando de bike pela cidade desde 13 anos, e estava, desde que minha bicicleta quebrou há uns 2 anos, sem fazer. Além disso, é meu meio de transporte e exercício. Queria ter exercitado mais meu corpo em 2017, mas não consegui... e aprendi a fazer o que dá.

2017 me mostrou que preciso de menos coisas do que tenho. Termino esse ano tentando fazer a sonhada limpa geral e espero tirar 500 coisas fora aqui pra que sejam usadas por outras pessoas.

Terminei o ano, fazendo um suco super saudável pra mim toda manhã, foi meu jeito de sentir que no meio de toda loucura, e de uma alimentação nem sempre boa (logo eu que sempre dei muito valor ao que como) eu poderia cuidar com um pouco mais de gentileza do meu corpo. A receita de um dos muitos sucos que ando fazendo eu vou colocar aqui embaixo. Você pode se basear nela e criar a sua, com o que tiver em casa. Ela não é a única, nem a melhor, só achei gostosa e me fez bem. Mesmo que a época de festas não seja a da melhor qualidade de alimentação, mais uma vez, fiz o que deu.

2017 foi assim, tinhas as horas que tive que aceitar que o que o mínimo era tudo que conseguia fazer naquele momento.

Também voltei a separar o lixo compostável aqui de casa (uso o Ciclo organico aqui no Rio) e me dá muito felicidade ver que cada dia eu consigo reduzir mais a minha pegada nesse planeta.

E me ensinou que tem uma hora, que a gente tem que fazer o que dá, o mínimo pra seguir e aceitar que isso é tudo. Principalmente, 2017 me mostrou o quanto a poesia, o sonho e essas pequenas gentilezas fazem tanta falta e são tão importantes.

Espero sinceramente que 2018 seja melhor, mais gentil, mais amável... Mas independente disso, eu vou ser comigo mesma. Vou fazer o que dá pra fazer mesmo que seja pouco. Essa é minha principal promessa.

IDÉIA de SUCO (para 2 pessoas)

1 1/2 maçã (ou 2 se for pequena)

1 cenoura

1/2 beterraba

1/2 inhame pequeno (algumas pessoas podem ter sensibilidade ao inhame cru. Se tiver, não coloque no seu suco!)

1/2 pepino

1 colher de sobremesa de pó de curcuma

1 colher de sobremesa de levedo de cerveja

1 pedaço grande de gengibre

2 galhos de aipo

2 galhos grandes de hortelã

1/2 copo d'água (ou de água de coco) pra poder bater

Bater tudo no liquidificador e coar no voil ou numa peneira bem fina.

Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Cosmética consciente  | cosmética natural | Sustentabilidade  |  DIY  | cosmética artesanal  |  Slow Beauty  | Beleza Sustentável  | Cosmetica criativa